Mais uma crônica sem nome

Compartilhe

Mais uma crônica sem nome

Mensagem por Mestre do Jogo em Qua Jul 23, 2014 2:35 am

Introdução: Continente de Elrun

Elrun é o maior continente civilizado conhecido, possui uma grande variedade de espécies, culturas, ambientes e variações climáticas. Atualmente é delimitado por 5 territórios, são eles:

Arienn, o populoso império unificado das civilizações humanas;
Nörtgard, o recluso e gélido reino das montanhas;
Haenelian, o místico reinado da dinastia élfica entre as florestas;
Qao'aru, as terras primitivas e desérticas do extremo oeste;
Kaeroth, o domínio sombrio dos renegados elfos negros;


Capítulo I: A era do caos

 As terras de Elrun tem a sua história marcada em sangue, as escrituras antigas contam sobre um tirano e poderoso demônio ancestral conhecido como Yaoumos, que viveu neste mundo a milhares de anos atrás. Conta-se que o mesmo possuía poderes além da compreensão, poderia adquirir a forma que desejasse, ceifar centenas de vidas com um único movimento dos dedos e uma habilidade única de abrir portais entre os planos e transitar livremente por eles, trazendo consigo uma legião de demônios que devastaram todo o continente e deixavam pilhas de cadáveres e destroços por onde passavam, a paisagem se resumia a cinzas e carne em putrefação para todos os lados, Elrun se tornara um verdadeiro inferno. Aqueles que conseguiam sobreviver eram capturados e fadados a servir como escravos até a morte, trabalhavam incontáveis horas até que seu corpo não aguentasse mais ficar de pé e tombasse. Anos de agonia e sofrimento se passaram e a esperança das pessoas já havia quase desaparecido, até o momento que os povos decidiram se unir contra seu inimigo em comum e enfrenta-lo, eis que surge o maior exército já existente: A Aliança de Elrun.

[...]

 Estes lendários guerreiros lutavam dia e noite motivados por sua causa libertadora, mas percebiam que seus esforços não eram suficientes visto que a cada demônio que era derrotado dois novos surgiam e esta situação não seria resolvida até que Yaoumos fosse parado. O demônio afirmava ser imortal e dizimava milhares de vidas no campo de batalha, a Aliança de Elrun estava perdendo a guerra... Mas isso não aconteceu, graças a uma reviravolta do destino, talvez. O fim dessa história ainda é um mistério, existem várias versões para a queda do soberano: A igreja cita um messias, um enviado divino (se as traduções das escrituras estiverem corretas) que conseguiu destruir o demônio com o poder da fé. Outros citam que o demônio realmente era imortal, mas um poderoso grupo de magos conseguiu invocar um ritual avançado e selar o seu poder, banindo Yaoumos e sua escória desta dimensão para sempre. Há quem acredite também que o demônio simplesmente se entediou com este mundo e foi para um plano desconhecido. E é claro, existem seitas e organizações cultistas que até os dias atuais fazem profecias e rogam pela volta de Yaoumos. Seja como for, o mundo voltou a ter paz por uma era, ainda existiam problemas como a fome e as doenças deixadas pelos demônios, mas o povo seguia em frente. Cidades eram formadas, impérios começavam a se erguer e os anos se passavam com prosperidade.


Capítulo II: Lex talionis - Olho por olho e dente por dente

 O demônio se foi, mas Elrun agora tinha outro inimigo: a ganância dos reis. Conforme os impérios se expandiam, buscavam ainda mais recursos e territórios, e conflitos eram cada vez mais frequentes até que fosse culminado o evento histórico conhecido como "A guerra dos cinco reinos."

[Continua...]

    Data/hora atual: Dom Out 22, 2017 9:40 pm